Ideias

O estilo é o esquecimento de todos os estilos.

Jules Renard

De facto, a frase de Renard pode aplicar-se a muitos temas. Mas em qualquer um deles, o aparecimento de algo novo é sempre visto como uma evolução do modelo anterior. Caso estranho é a moda. Curiosamente, é cíclica. Desde os anos 20 e do black&white de Coco Chanel, à escandalosa subida das saias por Jacques Doucet.

Na música clássica, passou-se da época Medieval para o Renascentismo, do Barroco – de Bach, Vivaldi, Lully, Monteverdi e Purcell – para o período Clássico – Schubert, Hadyn, Mozart, Beethoven -, culminando no Romantismo – Wagner, Chopin, Tchaikovsky, Balakirev, Dvorak e Schumann.

Já no século XX, começou-se pelo jazz, blues, swing, rock and roll e rockabilly, hippie e pop, ye-ye dos Beatles, British Invasion, hard rock, progressive rock, punk, disco, New Wave, post-punk, heavy metal, funk, hip-hop, soul,reggae, electronic, techno etc.

Acrescentaria a esta frase de Renard, que o estilo é o esquecimento “temporário” dos estilos.

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s